• Precisa de ajuda?

Mais Vendidos

  • Entregamos em casa

    Entregamos em casa

O que é a artrose em cães?

Tal como os humanos, também os nossos animais de companhia estão sujeitos ao aparecimento de artrose, ou em termos mais técnicos Doença Articular Degenerativa.

A artrose é a doença crónica mais comum em cães.

Como aparece a artrose em cães?

Sempre que exista uma incongruência articular, um traumatismo articular, uma infeção articular (atrite) ou simplesmente devido ao passar do tempo, as extremidades dos ossos (onde se dá o movimento) ficam sujeitas a desgaste. Ao perder-se a camada superficial da articulação, fica exposto o osso sub-condral que se vai comportar da mesma forma como num processo de fratura. Sofre espessamento e deposita-se novo osso de forma irregular e aleatória: Os Osteófitos.

Quais os sintomas da artrose em cães?

Com o decorrer do processo degeneretivo, é comum existir dor, inflamação e perda de mobilidade, nas articulações afetadas.

Como se diagnostica a atrose em cães?

Se suspeita que o seu cão sofre de artrose, o ideal é marcar uma consulta com o seu médico veterinário, de forma a que ele possa relaizar o diagnóstico ou estadiamento da doença. Geralmente uma boa conversa com o tutor, um bom exame ortopédico com avaliação do andamento do cão, complementados com imagens radiográficas das articulações com artrose, são suficientes para diagnosticar e/ou estadiar a doença. 

Na foto podemos ver uma articulação coxo-femural perfeitamente normal e a outra com alterações ósseas muito evidentes (seta).

Artrose Coxo-femoral

Quando aparece a artrose em cães?

Apesar de não ser especifica dos animais idosos, é muito mais frequente a partir dos 8 anos de idade, no entanto em alguns casos pode aparecer com meses de vida, especialmente quando existem incongruências genéticas, como a Displasia de Anca ou a Displasia do Cotovelo.

Existe atrose em gatos?

Apesar de ser uma causa de consulta muito mais frequente em cães, os gatos também sofrem de artrose, embora tenham manifestações clínicas mais silenciosas. Geralmente os nossos amigos felinos têm uma tendência para esconderem os sinais clínicos pelo máximo de tempo possível, sofrendo em silêncio.

Como podemos tratar a artrose?

Tal como em muitas outras doenças, a palavra de ordem é prevenção! 

Manter o controlo do peso, associado a exercício moderado e a uma alimentação saudável (eventualmente com suplementos alimentares), ajuda a manter as articulações mais saudáveis, evitando ou atrasando a progressão desta doença.

Apesar desta patologia não ter cura clínica, há muito a fazer para aumentar a qualidade de vida dos patudos que sofrem com ela. Assim, se suspeita que o seu companheiro sofre de artrose, contacte o quanto antes o seu médico veterinário, de forma a aumentar o conforto, mas também a limitar a progressão.

De igual forma, se tem um cão ou um gato a passar a meia idade (especialmente se for obeso, de grande porte, ou de raça definida), informe-se sobre a prevenção desta patologia crónica e debilitante.

O maneio da artrose em cães e gatos é multimodal! Dentro das opções disponíveis, as escolhas devem ser sempre adaptadas ao doente que estamos a tratar, uma vez que nem todos os animais reagem da mesma forma à patologia ou ao tratamento. Neste artigo explicamos alguns dos tratamentos e prevenções disponíveis, mas caso suspeite que o seu patudo sofre com esta doença, contate o seu médico veterinário assistente.

1) Suplementos alimentares:

São alimentos complementares, à base de produtos naturais, para cão e gato que podem ser oferecidos como complemento a uma dieta equilibrada e saudável. Incluímos aqui dois tipos de produtos diferentes:

1a) A Glicosamina e a Condroitina são compostos naturalmente presentes no organismo do cão e do gato, que estimulam a renovação das cartilagens articulares, prevenindo o seu desgaste natural, tendo propriedades condroprotetoras.

Pode ser suplemantada com produtos próprios como por exemplo o Omnicondro 20 ou o 

Kimi Move Support.

Outra forma de oferecer estes compostos, é através de alimentação suplementada. Neste caso, ao oferecer o alimento composto, este já tem condroprotetores na sua composição, bastando para isso escolher a alimentação mais adequada ao seu patudo. Existem alimentos conforme a espécie, idade e condição corporal (sendo que alguns ajudam também no controlo de peso). Após escolher o alimento, basta ajustar a quantidade da embalagem (geralmente dos 1,5 aos 15 Kg por saco). 

Algumas sugestões de alimentos utilizados na artrose com excelentes resultados são a Specific Joint Gato 2 Kg,Advance Articular Cão 12 Kg,Advance articular cão idoso 3 kg,Specific Joint Cão 12 Kg ou a Purina ProPlan JM

1b) O Colagénio é outro dos compostos naturalmente presentes no organismo que modula o efeito do sistema imunitário na destruição articular, sendo muito utilizado em fases mais agudas da doença articular. Recentemente consegui-se sintetizar colagénio com excelente disponibilidade por via oral, pelo que já integram suplementos como o Omnicondro Pro Rapid

2) Passeios e Fisioterapia

Uma das maneiras de atrasar a progressão da artrose é realizar passeios controlados à trela, preferencialmente em pisos planos e de baixo impacto articular (relva, terra batida, brita, etc). No caso dos gatos poderá recorrer a brinquedos que estimulem a atividade física com movimentos controlados.

Poderá encontrar produtos adequados aos vossos passeios e brincadeiras nas nossas secções de Passeios e Diversão:

Passeios Caninos

Brincadeiras Felinas

3) Anti-inflamatórios

Parecem quase milagrosos e a nosso ver sem uma excelente arma no controlo da dor, desde que usados com conta, peso e medida. É que por incrível que pareça os cães e especialmente os gatos são extraordinariamente sensíveis aos efeitos secundários causados pelo uso excessivo de anti-inflamatórios. As boas noticias são que a indústria farmacêutica veterinária, tem vindo a desenvolver medicamentos deste tipo totalmente adaptados aos nossos companheiros de quatro patas, existindo diferentes opções conforme cada situação.

Neste momento existem anti-inflamatórios para cães que podem ser usados durante meses com segurança, no entanto NUNCA MEDIQUE OS SEUS ANIMAIS SEM O CONSELHO DO SEU MÉDICO VETERINÀRIO, MESMO QUE SEJA COM ALGUM MEDICAMENTO QUE CONSIDERE INOFENSIVO.

4) Anticorpos Monoclonais

Tal como já acontece noutras patologias, estudos recentes indicam que também a artrose tem  uma fortíssima componente imunomediada. Assim sendo, um controlo efetivo do sistema imunitário poderá ajudar muito nestes processos, tal como já acontece, por exmelo com as alergias.

5) Infiltrações

6) Terapias complementares e alternativas

Na nossa prática clínica temos uma máxima sempre presente: Se uma terapia não é nociva e não interfere com a terapia convencional, tem uma forte probabilidade de ajudar. Assim têm sido relatadas melhorias com técnicas complementares como a acupuntura, utilização de células mesenquimais, fisiotepia com ondas de choque, etc.

7) Cirurgia

Caso a incongruência seja possível de corrigir com recurso à cirurgia é sempre de o fazer. Os casos mais clássicos são a rotura aguda de ligamentos cruzados e as displasia de anca e cotovelo. 

Se necessita de um apoio mais personalizado, não hesite em contatar-nos e já agora aproveite para conhecer o Sebastião e saiber mais sobre a artrose em cães e a sua prevenção, explicada pelo responsável pela área de cirurgia ortopédica da Vet Póvoa e um dos médicos veterinários do projeto Dona Micas, que assina este artigo

Video Animais Anónimos Você na TV

Mantenham as articulações dos vossos patudos saudáveis, eles vão agradecer com montes de brincadeira!